04/04/16 por Christh Teixeira

Você não precisa estar presente, hoje, em um lugar, para saber o que acontece por lá. É por isso que executivos podem ser vistos apenas em ocasiões extremas, ou em épocas festivas. E mesmo quando ficavam 24 horas na empresa, de nada sabiam. 

Participe da pesquisa GPTW!

Participe do processo das Melhores Empresas para Trabalhar e dê o primeiro passo para criar um melhor ambiente de trabalho e turbinar os resultados do negócio.

» Inscreva-se

Há uma mudança de mentalidade, e de gestão, que permite que a liderança seja, de uma certa maneira, remota. Isso aconteceu, claro, pelo avanço da tecnologia, mas também pelo gestor entender o que se passa no escritório.

Ele não usa uma câmera, nem fica controlando as atividades da equipe. Olha a sua pesquisa de clima organizacional – que coleta a percepção do funcionário, e monta um plano de ação para os pontos que precisa melhorar, ou valorizar.

Um cenário assim é possível em um ambiente de trabalho que respira confiança. Se o líder confiar, realmente, em seus colaboradores, as conversas de corredor ou os acontecimentos do dia-a-dia não serão prejudiciais à empresa.

É preciso ter uma liderança pela conquista da influência, sem apoio em cargos.

Ser líder, hoje em dia, é conseguir fazer com que as pessoas queiram te seguir, não que o façam apenas porque deveriam fazê-lo. Um líder precisa entender a equipe, saber o que inspira os funcionários e quais são as suas ambições.

Claro que, quem cria um ambiente de trabalho estimulante, é a empresa. Mas quem deve cultivar esse clima na prática é o líder. É sua responsabilidade manter os colaboradores envolvidos. E eles precisam acreditar no que ele tem a dizer.

Para isso é preciso saber o que acontece no ambiente interno da sua empresa.

Com a pesquisa de clima organizacional Trust Index®, a alta liderança vai ter acesso ao que o funcionário percebe na empresa e na área em que trabalha.  Ele vai revelar qual a sua percepção da companhia, o que vê de bom e de ruim.

O resultado proporciona uma visão profunda sobre o que realmente acontece no dia-a-dia. Somente com isso, o líder terá uma base sólida para tomar decisões.

Saberá, por exemplo, o que a empresa deve oferecer para extrair mais potencial dos funcionários. Ou de que forma sua liderança é enxergada pela equipe.

Com uma pesquisa, a empresa XYZ conseguiu provar que os líderes não são presentes, e quando aparecem, não trocam palavras com os colaboradores. Que aquele não era um bom lugar para se trabalhar e que ninguém se gostava.

Antes, eles não conseguiram bater as metas, que a cada trimestre passavam por revisão. As pessoas pareciam desmotivadas, e essa percepção revelou-se uma verdade na pesquisa, como uma das questões que necessitavam melhorar.

O plano de ação foi apresentado. Era preciso esforço de cada um, pois se previa uma mudança de cultura por lá: tanto dos diretores, quanto dos colaboradores.

O faturamento aumentou 20%, e as metas, que não foram superadas no ano anterior, foram batidas com certa facilidade. A empresa XYZ é fictícia, baseado nos cases das Melhores Empresas. A liderança presente, portanto, é aquela que reconhece nos funcionários a motivação, e o envolvimento da equipe. 

 

 

Conteúdos Relacionados